sábado, 24 de novembro de 2007

A deficiência está no coração

Quarta-feira, 2 de novembro de 2005.


Oi,
Eu sou deficiente.

Nasci nos anos 60 e sou vitima de uma sociedade preconceituosa.
Durante toda minha infância e adolescência vi pessoas, ditas anormais, serem escondidas e privadas do que chamam mundo civilizado.

Sou deficiente porque não sei como agir quando, hoje, me deparo com uma pessoa portadora de necessidades especiais. Não sei se devo olhar, cumprimentar ou simplesmente ignorar.
Na maioria das vezes finjo não ver, pois receio transparecer compaixão. Quando na verdade eu é que sou digna de piedade.

EU É QUE SOU DEFICIENTE.

Eles são pessoas especiais e têm algumas limitações.
Enquanto eu sou uma pessoa limitada.

Eu preciso de ajuda, minha geração precisa de ajuda,
A SOCIEDADE PRECISA DE AJUDA.



por Rosina Prá, minha mãe.




6 comentários:

caetano_rush disse...

Legal o texto, concordo com o que foi escrito. Parabéns, eu curto ler coisas assim, massa!

Bruno disse...

como eu já te disse ontem, quem sabe todos esses teus textos um dia virem um livro de aforismos que nem os do Nieztsche, eu compraria =]
=*

MIGUEL JOSÉ disse...

sábias palavras!

João Pedro Alves disse...

Muito legal!
Diz pra tua mãe criar um blog também..
beijo pras duas

Iris disse...

Bom, o que posso dizer é que concordo plenamente com a tua mãe. Eu também não sei como agir nessas situações, e acabo ignorando pelo mesmo motivo que ela falou.
A sociedade precisa de mudanças, mas não parece muito que as pessoas se preocupam com isso.

Ah, e filho de peixe, peixinho é né -.-
Tua mãe também escreve muito bem :)

Beijo!

fabiana disse...

tal mãe, tal filha1 Demais